mnmlist: NEWSCAMP 2010

A sexta edição do Newscamp já tem data e local definidos: será na Cinemateca, em São Paulo, durante o Fórum da Cultura Digital Brasileira (que vai de 14 a 17 de novembro).

UPDATE: a programação está aqui

O dia 14, um domingo, será a abertura do Fórum, com um show de Gilberto Gil no Auditório do Ibirapuera. Segunda-feira (15) em diante o Fórum começa, com discussões e eventos distribuídos em vários espaços na Cinemateca. A ideia do Fórum da Cultura Digital, este ano, é ser uma Rede das Redes. Ou seja, além do seminário tradicional, irá abrigar outros encontros que ocorrem regularmente – como é justamente o caso do Newscamp. Outros tantos eventos simultâneos estarão ocorrendo lá também.

Pra quem não conhece, o Newscamp é um encontro entre jornalistas, estudantes, blogueiros e outros profissionais da comunicação. Um ponto de encontro que gera ideias, que reúne projetos com vontade de realização. Uma desconferência, em que muitos falam com muitos.

O Newscamp é também uma construção conjunta das pessoas que participam deste encontro. Um processo coletivo em que este é o ponto de partida: faça sua inscrição (gratuita) no formulário aqui; até sexta-feira iremos fechar os assuntos que serão tratados e tentar buscar pessoas que possam trazer experiências nessa área.

Jornalismo colaborativo
Uma das vontades que temos é discutir o jornalismo colaborativo – participativo, cidadão, ou o nome que tenha. Lá se vão mais de 10 anos desde a primeira experiência, o CMI – Centro de Mídia Independente (também conhecido como IndyMedia). Nascido durante as manifestações de Seattle, em 1999, criado por jornalistas que não conseguiam publicar seus textos nos jornais onde trabalhavam. Com ajuda de programadores, criaram um sistema de publicação em que qualquer pessoa podia publicar notícias.

Depois vieram algumas dezenas ou centenas de sites colaborativos, pra todos os gostos. O mais emblemático e considerado o primeiro a trabalhar com jornalismo cidadão de fato (“jornalismo fundamentado, com profissionais editando e selecionando o conteúdo produzido por cidadãos repórteres do mundo inteiro. E 100% assim”, como diz Ana Brambilla) talvez tenha sido o sul-coreano OhMyNews. Fundado em fevereiro de 2000, tinha uma redação em Seul com 55 jornalistas. Chegou a cerca de 90 mil cidadãos repórteres em mais de 100 países. Mas começou o prejuízo e o OhMyNews partiu para o financiamento via crowdfunding. E agora, em setembro de 2010, relançou o site em outros moldes, mais como um blog e menos como o modelo que o tornou conhecido.

Ao final desta década em que vimos o jornalismo participativo surgir, pra onde ele vai? O que aprendemos com isso? Que o jornalismo não é mais uma palestra, mas sim uma conversa, isso sabemos – mas qual o melhor jeito de tirarmos proveito disso em nome do jornalismo?

Mas não responda ainda
Estas questões são todas uma provocação e um convite – o chamado esquenta do Newscamp. Publique em seu blog textos sobre jornalismo participativo – ou sobre outro assunto que você gostaria de ver discutido por lá. Nos avisem na caixa de comentários deste post o que você publicou e faremos depois aqui uma coleção de links que vai alimentar o debate no dia do encontro. E nos vemos por lá.

Blog Widget by LinkWithin