mnmlist: O FIM DA PIRÂMIDE INVERTIDA?

Paul Bradshaw, do Online Journalism Blog, propõe um novo modelo para as redações do século 21, que ele chama de news diamond. Segundo ele, poderia substituir a velha pirâmide invertida, criada, como reza a lenda, ao nascer do telégrafo, para passar as informações mais importantes no início do texto.

Bradshaw sugere nesse modelo como uma grande história deveria passar por uma redação integrada, com velocidade, profundidade e interatividade. Seria algo mais ou menos assim, com essas fases:

  1. Alert: Assim que a notícia chega na redação, é disparada em uma linha, ao estilo Twitter, para celulares e serviços online, para ficar claro que o veículo entrou na história rapidamente.
  2. Draft: Ainda sem muitos detalhes, é possível usar os blogs da redação para dar mais informações, linkar para outros blogs, abrir a discussão na rede. Os comentários podem ajudar inclusive na indicação de pistas para a cobertura.
  3. Article: Seleção dos melhores comentários no blog podem virar um artigo
  4. Context: Links para fora, transcrições, áudio e vídeo feito pelo celular, todos com tags específicas do assunto, podem gerar um “portal instantâneo”
  5. Analysis: Um blogueiro e um acadêmico podem fazer um debate em podcast sobre o assunto.
  6. Interactivity: requer investimento e preparo, mas pode gerar visitas ao longo do tempo, como recurso de “cauda longa”. Uma animação em flash que combine hipertexto, video, audio, animação e base de dados, que pode ser atualizada sempre. Um fórum. Chats. Uma página wiki.
  7. Customisation: a partir da criação da tag, gera-se um RSS sobre o assunto, que pode ser assinado por qualquer interessando.

Vale a pena ler com mais calma o texto todo de Bradshaw.

Encontrei a dica a partir do Ponto Media.

[ATUALIZAÇÃO]: Marcos Palácios, no GJol, fez novo post sobre o assunto, com questões importantes colocadas em comments por aí:

A propósito do oportuno comentário de Suzana Barbosa, vale a pena de fato chamar a atenção para o trabalho do Prof. João Canavilhas (Universidade da Beira Interior) que, em 2005, criou um modelo de pirâmida deitada, com muita proximidade ao proposto por Bradshaw. Igualmente digna de nota é a discussão estabelecida sobre o assunto por Luciana Mielniczuk, que no capítulo 5 de sua tese doutoral sobre o formato da notícia na escrita hipertextual (2003), fala sobre transformações possíveis do modelo de pirâmide invertida. uas contribuições que enriquecem muito o debate e fornecem mais parâmetros para avaliar-se a proposta de Bradshaw.

Blog Widget by LinkWithin